aprenda a fazer o referencial teórico do tcc

Como fazer o referencial teórico do TCC

Como fazer o referencial teórico do TCC

Se você precisa escrever uma revisão bibliográfica ou revisão de literatura digna de um trabalho aprovado, você veio ao lugar certo

Nesse artigo eu vou te contar as coisas que você precisa escrever na sua revisão para que ela se torne coesa, conexa e leve seu trabalho direto para a aprovação.

Tem muita gente que sofre com as perguntas da banca avaliadora já na revisão, e isso não vai acontecer com você.

Fica aqui comigo até o final desse artigo e eu aposto que você escreverá a revisão de um trabalho aprovado.

Ah, e antes que eu esqueça, a sétima dica é aquela que separa um trabalho criticado de um trabalho de excelência.

Bora começar então, roda a vinheta!

 

Encontre o tema que você suporta

Especialmente na revisão bibliográfica, ou revisão de literatura, (são sinônimos), você vai precisar ler bastante e entender sobre seu tema de pesquisa.

Sabe quando você precisou escrever algum trabalho de um tema que não gostava durante a faculdade ou a pós?

Como foi essa experiência?

Chato demais ne?

Pois é, ter que ficar lendo e se inteirando sobre assuntos que não gostamos, pode ser um martírio e um sofrimento gigante.

Então o primeiro passo para sofrer menos na escrita da sua revisão, é escolhendo um tema que no mínimo você suporte ler sem se martirizar.

Quando você faz isso, você consegue ler mais, entender mais facilmente e escrever com tranquilidade.

Depois que você escolheu o tema, vamos para a parte mais específica de revisão.

Histórico

Um dos primeiros itens que devem constar na sua revisão, é o histórico do tema.

O histórico do tema nada mais é do que contar aos leitores como o tema foi sendo desenvolvido ao longo dos anos, então qual o primeiro trabalho publicado, quais os trabalhos importantes, quais trabalhos mudaram a perspectiva do tema, quais desafios ainda não foram superados, e assim por diante.

A ideia do histórico é situar o leitor dos avanços e desafios que foram se desenvolvendo ao longo dos anos.

Essa parte também é conhecida como estado da arte do tema.

Ah Gabriel, como assim estado da arte?

Estado da arte nada mais é que mostrar como começou, como se desenvolveu e como está hoje o panorama de trabalhos em determinado tema.

Lembre-se sempre então que na sua revisão, você precisa demonstrar o estado da arte do seu tema.

Inclusive, essa parte deve tomar vários parágrafos no seu trabalho.

Se a sua instituição de ensino exigir uma sessão a parte para revisão bibliográfica ou revisão de literatura, você pode desenvolver o estado da arte de 2 a 4 parágrafos.

Se sua revisão for dentro da introdução, aí pode ser algo mais sucinto em menos parágrafos, beleza?

Conceitos

Então tá, a próxima dica é sobre conceitos.

Outra coisa que não pode faltar na sua revisão, é a caracterização dos principais conceitos do tema.

Nesse momento você deve pensar em uma pessoa que nunca leu nenhum trabalho no tema, e não sabe o que significam os conceitos importantes.

Você vai explicar os conceitos principais dentro do tema, sem esquecer de dar créditos a quem merece.

A ideia nesse caso é fazer o leitor entender um pouco da teoria e dos conceitos básicos antes de começar a aplicação propriamente dita do seu trabalho.

Dessa forma, antes de chegar na metodologia, na coleta e analise de dados, você situa o leitor da teoria por trás do seu trabalho.

A partir do momento que o leitor entende a teoria, ele está pronto para entender também a prática e a importância da aplicação do trabalho.

 

Objetivos

Depois que você situou o leitor em relação ao estado da arte e dos conceitos principais, é hora de você mostrar a que veio, e fazer o leitor entender porque você escreveu sobre aqueles conceitos e porque você descreveu o estado da arte dessa forma.

E como você vai fazer isso?

Introduzindo os objetivos do seu trabalho no final da sua revisão.

Caso seu trabalho tenha uma sessão a parte só para revisão, você pode deixar os objetivos para a introdução.

Caso a revisão esteja dentro da introdução, coloque seus objetivos no último parágrafo da introdução.

Lembre-se sempre de fazer o texto fluir até chegar nos seus objetivos, tá?

Então você vai mostrar o estado da arte, falar dos conceitos e vai pensar em uma forma de conectar ambos ao seu objetivo de forma que você não precise quebrar o texto, digamos assim.

E quando eu falo quebrar o texto é comprometer a fluidez do trabalho.

Então escreva tudo isso sem esquecer de fazer os parágrafos se conectarem até os seus objetivos.

 

Justificativa

 

Emendando os objetivos, ai fica a seu critério se você quer escrever sua justificativa logo depois dos objetivos, ou um pouco antes.

Na justificativa você vai explicar em poucas palavras porque você está fazendo esse trabalho e qual a importância dele, ou seja, você vai mostrar como seu trabalho pode impactar no desenvolvimento do tema, ou no avanço em alguma área da sociedade.

É como você dar um motivo para estar se empenhando em fazer seu trabalho, deu para entender?

De certa forma, você vai mostrar ao leitor antes de começar a colocar a mão na massa, que seu trabalho é importante e que com seus resultados você pode contribuir para alguma coisa.

 

Ordem lógica

 

E a sétima dica, é a união de tudo isso que conversamos ao longo desse artigo.

Aqui nós falamos de conceitos, histórico ou estado da arte, objetivos e justificativa.

Esses são os pontos que precisam estar na sua revisão de literatura, certo?

Mas pouco adianta você colocar todas essas informações se você não fizer elas se comunicarem entre si.

Ah mas como assim Gabriel.

Você precisa fazer cada um desses pontos se conectarem e de uma forma natural, levarem até o próximo.

Então se você escreveu no parágrafo 3 sobre o estado da arte, e o quarto será sobre conceitos, você precisa fazer com que o final do parágrafo 3 chame o parágrafo quatro, precisa fazer com que ele leve ao parágrafo quatro com fluidez e naturalidade.

Seguir uma ordem lógica e fazer seu texto fluir de forma natural, vão fazer a sua revisão ser digna de aprovação e possivelmente de publicação em revistas.

É sempre legal você escrever a estrutura dos parágrafos antes de começar a escrever de fato, dessa forma você pré-estabelece o que faz mais sentido ser escrito em cada parte da sua revisão.

Fechou?

Forte abraço e te vejo no próximo artigo!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *